Header Ads

CANTAR GRÂNDOLA @ COLISEU DOS RECREIOS [REPORTAGEM]

Cantar Grândola, Coliseu dos Recreios, Concerto, Fotos

Há precisamente 40 anos, a 29 de março de 1974, realizou-se num Coliseu dos Recreios esgotado o I Encontro da Canção Portuguesa, organizado pela Casa da Imprensa. Em 1974, a poucas horas do evento, a organização ainda não sabia se o espetáculo seria autorizado pelo regime e, quando finalmente veio a permissão, esta surgiu na condição de que músicas de José Afonso como "Venham Mais Cinco", "Menina dos Olhos Tristes" ou "A Morte Saiu à Rua" não poderiam ser interpretadas.

Nesse espetáculo histórico participaram, para além de José Afonso, músicos e autores como Adriano Correia de Oliveira, José Carlos Ary dos Santos, Carlos Paredes, Fernando Alvim, Fernando Tordo, José Jorge Letria, José Barata Moura, o grupo Introito (de Nuno Gomes dos Santos) e Manuel José Soares.

O espetáculo foi considerado na altura como um ato de resistência à ditadura e contou com um forte dispositivo policial, que vigiou as cerca de cinco mil pessoas que esgotaram o Coliseu. Tal não impediu que a canção "Grândola, Vila Morena" ecoasse espontaneamente pelo público, como ato de resistência.

40 anos depois, num contexto distinto mas que nos apresenta outros desafios, procurou-se recuperar o espírito que presidiu ao I Encontro da Canção Portuguesa, numa celebração da música e da liberdade que contou com a participação de diversos músicos e autores... e que voltou a esgotar o Coliseu dos Recreios.

O espetáculo abriu com a projeção de várias imagens do espetáculo de 1974, a que se seguiu a interpretação de Filipa Pais da "Utopia" de José Afonso. Seguiram-se Amílcar Vasques-Dias (ao piano) e Luís Pacheco Cunha (no violino), com interpretações de José Afonso e Federico García Lorca. João Afonso, sobrinho de José Afonso, subiu ao palco e interpretou músicas do seu tio e da sua própria autoria. Júlio Pereira e o seu cavaquinho animaram o Coliseu e Janita Salomé interpretou "Roseira Brava Roseira".

Apesar das transições entre músicos serem bastante rápidas, o público aproveitou estes momentos para recuperar, de forma espontânea, canções de intervenção de há algumas décadas, gerando momentos verdadeiramente arrepiantes em que a sala do Coliseu ecoou, quase a uma só voz, cantigas com mensagens políticas.

José Fanha recitou poesia de Ary dos Santos e Carlos Alberto Moniz brindou o público com "Resistir de Novo" e "E Um Dia Fez-se Abril". Amélia Muge, António Portanet, os Couple Coffee (Luanda Cozetti e Norton Daielo), Francisco Fanhais, Luísa Amaro e Gonçalo Lopes marcaram também presença neste espetáculo. Já bem para lá da meia noite, Sérgio Godinho e Zeca Medeiros também subiram ao palco e deram o seu contributo para esta grandiosa celebração.

O espetáculo fechou com uma interpretação de "Grândola Vila Morena", com todos os músicos e autores em palco e um público a cantar quase em uníssono a senha da revolução, que fechou uma noite longa mas que terá sido, certamente, inesquecível para todos e particularmente repleta de emoções para aqueles que estiveram presentes, há 40 anos, no I Encontro da Canção Portuguesa.



Data: 2014-03-28
Texto e Fotografia: Nuno Pires