[LETRA] 5-30 - PLACAS


5-30 - Placas

Ok, eu comecei com estupefacientes
Ma nigga isto são tudo factos cientes
Deixei todos da concorrência estupefactos e sentes
Que agora os meus garfos tocam em pratos diferentes

Fotos do concerto de 5-30 em Lisboa

Eu tou agora na sala vip
Ma guetto bitch, uma chavala freak
Só galas e galas com uma mala chique
Eu dei-te um hala tipo na sala eu vi-te
(?)
Gotas são gotas aqui quando se fala no guito
Eu uma vez como todos aqueles que falam do mito
Tens rusga na tua casa e um dos homens fala bimbo
Ou és servido (?)

Ya por isso tem cuidado quando falas com os gringos
Porque aqui o bagulho é sério por mais que brinques
Erva nos colhões, grana no meu bolso
Seja qual for a mulher que estiver comigo é cana doce

Yo, Sou do tamanho que vejo não o tamanho da minha altura
E o tamanho do meu desejo nunca me deu tontura
Procura e vais encontrar aquilo que não querias
Cem mulheres que fazem fila para ter as minhas crias
Fica sossegado, é o melhor que fazes bode
Isto não é para quem quer é para quem pode
Fode sem sair de cima, o melhor vinho da vindima
Pode ser que a minha rima, seja a tua mais a cima

À vinte anos que ando nesta merda
Quando eu lerpar o povo chora a minha perda
Dão o meu nome a uma rua de Almada
Carlos Nobre Neves, poeta da vida airada
A Se a palavra é falada, sou profeta da parada
Deus te livre e guarde de cruzar a minha estrada
Não há dama que não sinte, se há drama a gente pinta
Isto aqui é 5-30 baby chupa mas não trinca

E eu tou aqui no quarto canto, no quarto canto o que passe
E a parte grande do que faço, aguardo tanto tempo prazo
Mil dá-me tanto, no lugar que planto um pedaço
Quando levam o espaço, à quem levante um braço, quarto canto
No lado para o lado frequente, não me farto
de falar o quanto eu me encanto quando eu comento o  meu bairro
Que gira o globo com vogais geniais, verticais e irreais,
credenciais mundiais, a minha mão habita a cadência como o fredboy

Minha grana morre em silêncio como ao badboy
Não era gozo quando trouxe a minha boss
E eu nunca fui ansioso de ser famoso como os bross
O lobby não me assenta, procura-me na praceta
Sam the kid nasty (?)
Como eu já lhe dava com alma gravei no album da palma
Agora à muita coroa à toa, mas para mim não há
uma que tenha rins, pára o corpo martins
O movimento tá lento oh meu dou-te patins
É quando eu fico sapateiro e dou-te um bico sarrafeiro
Tu és um beat sem um kick, és um freak sem rafeiro

O teu principio é rap básico, e é fisicamente fácil
vou pisar quem entornar o meu cálice num momento clássico
Calem-se um momento e bazem, o barraco já não assiste
Brindamos a ressaca das placas que nunca viste

Enviar um comentário

 
Copyright © 2013. MY SOUND mag - All Rights Reserved